Linha do Tempo

  • 1992: iniciativas do setor

    A Andef (Associação Nacional de Defesa Vegetal), em parceria com a Aeasp (Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo) e a Coplana (Cooperativa de Plantadores de Cana de Guariba), propõe a formação de um grupo para estudar o fluxo das embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil.

  • 1994: projeto piloto

    Iniciativa da Andef dá origem ao programa piloto da estação de recebimento de embalagens vazias em Guariba (SP), envolvendo vários parceiros.

  • 2000: instituição da lei

    Promulgada a Lei federal nº 9.974/00, a qual define as questões ligadas ao destino final das embalagens vazias de defensivos agrícolas e utiliza como parâmetro a experiência do projeto piloto da Andef, além de outras iniciativas regionais.

  • 2001: fundação do inpEV

    Sete entidades representativas do setor agrícola e 27 fabricantes se unem para fundar o inpEV em 14 de dezembro.

  • 2002: início da operação

    • Em março entra em funcionamento o sistema de logística reversa, que posteriormente receberia o nome de Sistema Campo Limpo, com uma estrutura formada por 33 centrais de recebimento e um posto;
    • Mais empresas aderem ao inpEV, totalizando 39 associadas;
    • 3,8 mil toneladas de embalagens destinadas.
  • 2003: conscientização e ampliação da infraestrutura de recebimento

    • 230 unidades de recebimento;
    • 7,8 mil toneladas de embalagens destinadas;
    • 44 empresas associadas;
    • Início da sistematização das atividades de conscientização dos agricultores.
  • 2004: foco na reciclagem e reforço na orientação técnica a agricultores

    • 14 mil toneladas de embalagens destinadas;
    • Parceria com empresas recicladoras para uso das embalagens como matéria-prima de 12 artefatos diferentes;
    • Realização de palestras e treinamentos sobre os procedimentos de lavagem e devolução das embalagens; campanhas educativas; criação do espantalho Olímpio, que personifica as mensagens de conscientização.
  • 2005: referência mundial e criação do Dia Nacional do Campo Limpo

    • Com 43 mil toneladas de embalagens destinadas desde a criação do Sistema, o Brasil ultrapassa a soma registrada por 30 países que possuíam programas similares de logística reversa, e se torna referência mundial no tema. Em mais de 60 seminários em diversas regiões do Brasil, o inpEV participa da troca de informações e conhecimentos com representantes de outros setores produtivos interessados em conhecer a experiência do Instituto;
    • Criação do DNCL (Dia Nacional do Campo Limpo) com o objetivo de dar mais visibilidade ao tema e aprofundar a conscientização da sociedade. A primeira edição do evento contou com atividades simultâneas em 13 Estados; 11 mil pessoas visitaram 40 centrais de recebimento.
  • 2006: construção de conhecimento em âmbito internacional

    • 20 mil toneladas de embalagens destinadas;
    • 365 unidades de recebimento em 23 Estados;
    • O inpEV passa a integrar o comitê da Croplife International, federação global que representa a indústria de produtos fitossanitários e reúne associações regionais e nacionais em 91 países. A partir da parceria, o Sistema Campo Limpo ganha projeção mundial e passa a ser referência a programas de países como Canadá, Estados Unidos, Alemanha e França.
  • 2007: consolidação do Sistema

    • 84 mil toneladas de embalagens destinadas desde 2001;
    • 375 unidades de recebimento;
    • 67 empresas associadas ao Instituto.
  • 2008: busca da autossuficiência econômica

    • 24,4 mil toneladas de embalagens destinadas.
    • 76 empresas associadas.
    • Inauguração da primeira unidade de recebimento do próprio inpEV, em Rondonópolis (MT).
    • Criação da Campo Limpo Reciclagem e Transformação de Plásticos S.A., que visa fechar o ciclo de gestão das embalagens de defensivos agrícolas dentro da própria cadeia a partir da fabricação de novas embalagens e resinas pós-consumo provenientes de reciclagem. A iniciativa vinha sendo amadurecida desde 2005 como alternativa de geração de recursos dentro do próprio Sistema.
  • 2009: inovação tecnológica

    A Campo Limpo Reciclagem e Transformação de Plásticos S.A lança a Ecoplástica Triex, primeira embalagem brasileira produzida a partir de resina reciclada de embalagens vazias de defensivos agrícolas pós-consumo, e a primeira embalagem fabricada com matéria-prima reciclada a obter a certificação UN (grupo II, densidade 1,4 g/cm³) para o transporte terrestre e marítimo de produtos perigosos. O produto materializa o compromisso do inpEV com a inovação e com a busca da autossuficiência econômica para o Sistema.

  • 2010: políticas públicas

    • Destinação atinge 94% do total das embalagens plásticas primárias comercializadas;
    • O inpEV participa ativamente das discussões que levariam à definição da PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos);
    • Lançamento do programa educacional "Ciclo de Vida das Embalagens", alinhado aos PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) do MEC (Ministério da Educação). A ação deu início ao PEA (Programa de Educação Ambiental Campo Limpo).
  • 2011: modelo para outros produtos

    • 34,2 mil toneladas de embalagens destinadas;
    • A logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas passa a ser designada Sistema Campo Limpo;
    • A partir do sucesso do modelo, o inpEV começa a estruturar um projeto de destinação de embalagens de detergentes, alvejantes, inseticidas e raticidas de uso restrito a empresas especializadas. A iniciativa envolve a Abas (Associação Brasileira de Aerossóis e Saneantes Domissanitários).
  • 2012: em linha com a expansão da fronteira agrícola

    • 37,4 mil toneladas de embalagens destinadas;
    • 97 empresas associadas;
    • 414 unidades de recebimento;
    • Presença em 25 Estados e no Distrito Federal.
  • 2013: parceria para eliminar produtos obsoletos

    • 40,4 mil toneladas de embalagens destinadas;
    • 192,3 mil participantes nas atividades do DNCL (Dia Nacional do Sistema Campo Limpo);
    • Realização de um projeto pioneiro no Paraná para eliminação do BHC (hexabenzeno de cloro) e de outros agrotóxicos declarados obsoletos e proibidos por lei.
  • 2014: 10 anos do Dia Nacional do Campo Limpo

    • Alcançada a marca de 300 mil toneladas de embalagens destinadas desde 2002;
    • Implementação do adEV (Agendamento de Devolução de Embalagens Vazias);
    • Celebração dos dez anos do Dia Nacional do Campo Limpo.
  • 2015: novos projetos e produtos

    • 45,5 mil toneladas de embalagens destinadas.
    • Início do projeto de recebimento de impróprios nas unidades do Sistema Campo Limpo.
    • A Campo Limpo Tampas e Resinas Plásticas, em Taubaté, interior de São Paulo, começa a produzir a Ecocaps, um sistema de vedação de alta performance para embalagens.
  • 2016: 15 anos

    • 44,5 mil toneladas de embalagens destinadas;
    • 210 mil alunos participantes do Programa de Educação Ambiental Campo Limpo;
    • Desenvolvimento do projeto piloto de logística reversa de embalagens vazias de fertilizantes foliares;
    • 410 unidades de recebimento (cinco gerenciadas diretamente pelo Instituto).
  • 2017: um marco na destinação de embalagens

    • 450 mil toneladas destinadas desde 2002;
    • Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, com os Secretários da Agricultura e do Meio Ambiente, além de autoridades municipais, participam das comemorações do DNCL e do encerramento do Projeto de Destinação Adequada de Agrotóxicos Obsoletos em São Paulo, ocorridas na Campo Limpo Reciclagem e Transformação de Plásticos, em agosto;
    • inpEV apresenta Sistema Campo Limpo no Business Symposium at Unea-3, evento promovido pela Unep (United Nations Environment Programme) que acontece durante a Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em Nairóbi, no Quênia.

Para conhecer os marcos mais recentes do desempenho, acesse Sistema Campo Limpo em números.